Começa temporada de raios e trovões em todo o Paraná

Estado tem incidência de quase um milhão de descargas atmosféricas por ano

A previsão para hoje e os próximos dias no Paraná é de chuva intensa, com ventos fortes e grande concentração de raios, segundo previsão ontem no site do Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar). Também ontem, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) coloca quase toda a região Sul do País em estado de perigo para eventos severos, inclusive as descargas atmosféricas.

Todos os anos, 916,8 mil raios são registrados sobre o território do Paraná. O Estado é apenas o 11º entre as unidades da Federação em termos de incidência de raios, segundo relatório divulgado pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O Estado com a maior incidência é o Tocantins. Em número absolutos, o campeão é o Amazonas, que tem seu território atingido por cerca de 24,6 milhões de descargas elétricas todos os anos.

A cidade campeã de raios no Paraná é Antonina: 8,14 raios por quilômetro quadrado por ano, muito acima do índice estadual (4,6). Isso indica que Antonina recebe em média 6.878 descargas todos os anos. A seguir aparecem Guaraqueçaba (índice de 7,18), Guaporema (6,66), Morretes (6,19), Paranaguá (6,14), Roncador (6,12), Floraí (6,04), Andirá (5,97), Janiópolis (5,92) e Cambará (5,90). Curitiba tem um índice de 4,5. Ou seja, a capital paranaense recebe em média 1.957 descargas a cada ano.

O Tocantins tem 17,1 raios por quilômetro quadrado por ano, o que resulta em cerca de 4,7 milhões de descargas todos os anos. No Amazonas, a incidência é de 15,8. Assim, o maior Estado do Brasil tem cerca de 24,6 milhões de raios todos os anos.

Alerta para tempestades com ventos de até 100 km/h e granizo
Na quinta-feira (28), o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), divulgou boletim alertando para chuvas fortes no Paraná e outras áreas da região Sul entre ontem e hoje. O aviso fala em grau de severidade da tempestade em nível de perigo, com possibilidade de chuva volumosa, com ventos de até 100 km/h e ainda chuva de granizo. “Risco de corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de árvores e de alagamentos”, diz o aviso.
Ontem, no final da tarde, a tempestade chegou até Ponta Grossa, nos Campos Gerais, e provocou estragos na cidade além de deixar cerca de 30 mil casas sem energia elétrica. Novas frentes de temporais estavam em formação nas regiões Oes e Noroeste do Estado entre o fim da tarde e início da noite de ontem.
Hoje, as regiões Oeste, Noroeste e parte do Sudoeste devem amanhecer com fortes chuvas. A frente avança para a parte mais central do Estado durante a tarde. Em Curitiba, pode chover desde o começo da tarde, mas o temporal tem previsão de atingir a Capital apenas de noite.
Ontem, a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil estava em estado de atenção por causa do avanço da frente fria carregada. O tempo chuvoso deve permanecer até a próxima semana em Curitiba.

Defesa Civil de Curitiba define estratégias para enfrentar o temporal
Com a chegada da primavera, chuvas de grande intensidade podem atingir Curitiba e região metropolitana. Para traçar estratégias de prevenção e definir planos de contingência para minimizar possíveis desastres naturais, a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil reuniu, ontem, os administradores regionais de Curitiba, que são os responsáveis pelas comissões regionalizadas de Defesa Civil na cidade. Foi indicado o protocolo a ser adotado em atendimento às emergências e discutida a atualização dos planos de contingência.

Proteja-se em caso de tempestade com raios

– Evite sair às ruas ou procure se refugiar em prédios com para-raios ou em abrigos subterrâneos como metrôs ou túneis

– Não use telefones com fio ou ligados à tomada. Fique longe de tomadas, janelas metálicas e aparelhos ligados à rede elétrica

– Evite topos de morros ou prédios e áreas descampadas, como campos de futebol. Não fique perto de árvores isoladas

– Ficar perto de um carro pode ser perigoso, mas, caso seja um lugar aberto, o mais seguro é procurar abrigo dentro do veículo

– Apesar do perigo de se estar próximo a veículos em tempestades, o Inpe lembra que se refugiar dentro de um automóvel é seguro, desde que não seja conversível

– Se você estiver em um local sem abrigo e sentir os pelos arrepiados ou coceiras na pele, pode ser indicativo de que um raio está prestes a cair. Neste caso, ajoelhe-se e se curve para a frente, colocando as mãos nos joelhos e a cabeça entre as pernas. Nunca se deite no chão

http://tanosite.com

Comentários pelo Facebook