Em ‘A força do querer’, os personagens conseguiram o que queriam? Relembre trajetórias

Saiba o que mudou entre o primeiro e último capítulos (com spoilers). Desfecho nesta sexta (20) teve tensão e referência a ‘O clone’.

Maior fenômeno de repercussão da TV nos últimos anos, “A força do querer” (Globo) terminou nesta sexta-feira (20). E não teve força que fosse suficiente para satisfazer os desejos de alguns personagens na trama (veja abaixo).

Se você não viu o último capítulo e não quer estragar a surpresa, melhor parar por aqui. Esse texto está cheio de spoilers. O desfecho teve tensão, luta do UFC, homenagem a Rogéria (1943-2017) e referência a “O clone” – como Carine, Carla Diaz relembrou a novela de 2001, também de Gloria Perez, com uma dança do ventre que bombou na internet.

Adeus, vida bandida

Em sua aguardada redenção, Bibi (Juliana Paes), ex-Perigosa, decidiu se entregar à polícia. No primeiro capítulo, ela havia deixado Caio (Rodrigo Lombardi) para ficar com Rubinho (Emílio Dantas).

Queria viver com ele um amor intenso e conseguiu: acompanhou o marido na vida bandida, foi traída e acabou presa. No fim, preferiu a tranquilidade de Caio. Já Rubinho amargou um fim trágico durante um confronto entre facções.

Em um dos momentos mais tensos Silvana (Lília Cabral) finalmente admitiu seu vício em jogo depois de ver a filha feita refém por causa de uma dívida sua.

Quem ficou com quem

Jeiza (Paolla Oliveira) está no time dos que conseguiram o que queriam. Ganhou seu cinturão do UFC e, de quebra, ficou com Zeca (Marco Pigossi).

Ruy (Fiuk) começou a novela fazendo de tudo para conquistar Ritinha, mas queria mesmo casar com Cibele (Bruna Linzmeyer), sua então noiva. Acabou a novela sem nenhuma das duas.

Ritinha (Isis Valverde) casou com Ruy, casou com Zeca, traiu os dois. O que sempre quis mesmo, durante toda a trama, foi trabalhar como sereia. E a autora atendeu seu desejo no fim.

Cibele, por sua vez, passou toda a trama tentando fisgar Ruy. Terminou sozinha, em um desfecho parecido com o da italiana Laura Mesi, que na vida real decidiu casar consigo mesma, um símbolo de amor próprio.

Aliás, o amor próprio também marcou os finais de Ivan (Carol Duarte), que conseguiu fazer sua transição de gênero; Elis Miranda (Silvero Pereira), que virou uma estrela dos palcos; e Biga (Mariana Xavier), que se tornou modelo plus size.

https://g1.globo.com

Comentários pelo Facebook