REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 03/07/17 – Jo20,24-29 “MEU SENHOR E MEU DEUS!”

Hoje, a Igreja celebra a festa do Apóstolo Tomé!
Quando a Igreja faz memória a um Santo, ela quer chamar a nossa atenção para o seu testemunho! E o testemunho de São Tomé, retrata a fragilidade humana. Nós não somos tão diferentes do apóstolo Tomé! assim como Ele, também vacilamos na fé! O que não significa incredulidade, como ficou marcada a figura de Tomé.
Não podemos afirmar que Tomé era incrédulo, ele teve sim, suas fraquezas na fé, mas quem de nós não está sujeito a estas fraquezas? Tropeçar, cair, faz parte da vida de quem está numa caminhada, já, o ficar no chão, ou levantar, depende do nosso querer! Tomé caiu, mas logo se levantou, afinal, ninguém fica no chão, diante do Cristo ressuscitado!
Para muitos de nós, a figura de Tomé, ficou marcada muito mais pelo o seu vacilo na fé, do que pela a sua profissão de Fé. Já para Jesus, o mais importante, foi a sua profissão de fé: “MEU SENHOR E MEU DEUS!”
É importante compreendermos, que Jesus não considera o nosso passado, o que vale para Ele, é o que nos dispusemos a ser, a partir do nosso encontro com Ele!
Tomé, que fazia parte da comunidade dos apóstolos, tinha muitas duvidas no coração, ele não estava presente na primeira aparição de Jesus. Quando os seus irmãos de comunidade, atestaram terem visto Jesus, ele duvidou, pretendendo uma constatação pessoal, não somente visual, como também pelo o tato. Tomé exigiu uma condição, para que ele pudesse acreditar que Jesus havia realmente, ressuscitado: “Se eu não vir as marcas dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei”.
Oito dias depois, ele pode ter esta constatação, quando Jesus aparece novamente para a comunidade dos apóstolos, e desta vez, ele estava presente e pode então tocar nas chagas de Jesus! Neste encontro, Jesus, reconhecedor da fragilidade humana, não repreendeu Tomé, apenas mostrou-lhe as mãos, e pediu-lhe que tocasse no seu lado, fazendo em seguida, um apelo, apelo este, que deve valer para nós também: “Não sejas incrédulo, mas fiel!”.
Tomé, não foi o único que ficou descrente após a morte de Jesus, na verdade, houve uma desestruturação geral na comunidade dos apóstolos, após aquele acontecimento de difícil compreensão para eles!
Podemos interpretar este episódio, como sendo uma providencia Divina, o vacilo de Tomé, nos convida a fazermos um deserto interior, a fim de avaliarmos o grau da nossa fé! A fé é a base que nos sustenta, e é na comunidade que nos fortalecemos na fé! Unidos aos irmãos, unimos forças, e fortalecidos na fé, nada e ninguém conseguirá nos tirar de Deus!
Tomé caiu, mas os seus irmãos de comunidade o trouxeram de volta, possibilitando a ele, se redimir na fé, diante do Cristo Ressuscitado! Ele conviveu com Jesus por um bom tempo, mas foi no seu reencontro com Ele, que Tomé abraçou a fé: ”Meu Senhor e meu Deus!”
“Felizes os que creem sem terem visto!” Atualizemos estas palavras de Jesus, vivendo intensamente o mistério da fé.

FIQUE NA PAZ DE JESUS!

Comentários pelo Facebook