REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 18/09/17 -Lc7,1-10. “NÃO SOU DIGNO DE QUE ENTRES EM MINHA CASA.”

Em todas as suas ações libertadoras, Jesus sempre deixava claro, que a cura de quem recorria a Ele, era fruto de sua fé, o que vem afirmar, que a nossa libertação, só acontece pelos os caminhos da fé!
Quem vive a fé, nunca perde a esperança, não se deixa abater diante às dificuldades, pois carrega consigo, a certeza de que em Deus está o seu porto seguro. Fé, não é algo que se tem e pronto, fé é construção, construção que se desenvolve, através de um processo lento, que vai se solidificando, à medida em que intensificamos a nossa relação com Deus. Fé, não se guarda na gaveta, fé, é vivencia, vivencia no amor! É na relação humano com humano, que se dá testemunho de fé!
O Evangelho que a liturgia de hoje nos apresenta, nos convida a refletir sobre a essencialidade da fé! A narrativa nos mostra um belíssimo testemunho de fé, que encantou Jesus! Um oficial romano, movido pelo o amor ao próximo e pela a confiança no poder libertador de Jesus, recorre a Ele, em favor do seu empregado!
O texto chama a nossa atenção, para três virtudes que devem nortear a nossa vida: FÉ, AMOR FRATERNO E HUMILDADE!
Embora não fizesse parte do grupo dos seguidores de Jesus, o oficial romano, dá um grande testemunho de Fé, ao acreditar, que bastava uma palavra de Jesus, mesmo que à distancia, para que o seu empregado ficasse curado!
Intercedendo em favor do seu empregado, ele dá também, um testemunho de AMOR FRATERNO, e ao reconhecer-se indigno de receber Jesus em sua casa, ele demonstra total HUMILDADE! Tamanha era a sua humildade, que ele nem ousou chegar perto de Jesus, enviou alguns anciões dos Judeus, para pedir a Jesus, a cura do seu empregado!
Jesus se pôs pronto em atendê-lo, tomando o caminho de sua casa, e quando já estava próximo, o oficial mandou alguns amigos dizer a Ele: “Senhor não te incomodes, pois não sou digno que entreis em minha casa. Nem mesmo me achei digno de ir pessoalmente ao teu encontro. Mas ordena com a tua palavra, e o meu empregado ficará curado.” Essas palavras, tocaram fundo no coração de Jesus, que mesmo à distancia, curou o empregado do oficial.
Deste episódio, podemos tirar uma grande lição, uma lição que poderá nos ajudar a conviver bem com as diferenças religiosas. Ao curar o empregado de alguém, que não fazia parte do grupo dos seus seguidores, Jesus mostra, que não é pela religião que se dá testemunho de fé, e sim, pelo o amor ao próximo e pela confiança no poder libertador de Deus!
A fé é um dom de Deus, é uma semente que fora lançada por Ele, no nosso coração, cabe a nós, acolher e desenvolver este dom, fazendo com que esta semente germine, cresça e produza frutos! Não é Deus quem vai fazer crescer a nossa fé, Ele nos dá a semente, (dom) somos nós, que devemos desenvolver esta semente, através do nosso bom viver, do nosso compromisso com Deus e com os irmãos! Fé e vida são inseparáveis, não tem como viver a fé separada da vida, viver a fé, é cuidar da vida!
Exercitemos, pois, a nossa fé, através da oração, da meditação da palavra, da solidariedade, da vivencia fraterna, da eucaristia que nos torna outros Cristos!
Ao nos criar, Deus nos moldou na forma do seu amor, colocando centelhas Dele em nós! Se nos desvirtuamos, é porque não preservamos a essência de Deus em nós, não alimentando a nossa fé!
Precisamos a todo instante nos abastecer na fé, pois a fé, é o pilar que nos sustenta, e que nos torna suporte para o outro!

FIQUE NA PAZ DE JESUS!

 

Comentários pelo Facebook